APICCAPSAPICCAPSAPICCAPS
Facebook Portuguese Shoes APICCAPSYoutube Portuguese ShoesAPICCAPS

Medidas de prevenção da COVID-19 nas empresas

Medidas de prevenção da COVID-19 nas empresas

29 Apr, 2020

No dia 28 de abril celebrou-se o dia mundial da segurança e saúde no trabalho, que este ano é dedicado aos surtos de doenças infeciosas no local de trabalho. Para assinalar esta data o Serviço Externo de Segurança no trabalho do CTCP  criou um conjunto de recomendações e medidas de prevenção à COVID-19, destinadas às empresas do setor.
São 20 medidas para que as empresas, no regresso ao trabalho, possam  implementar,  adaptando os locais de trabalho e protegendo os trabalhadores.

Medidas a implementar para a prevenção à COVID-19:
1. Se existirem sintomas como tosse ou febre, não sair de casa, avisar os recursos humanos da empresa e ligar para o SNS 808 24 24 24. Ir atualizando as informações à empresa ou pedir para alguém o fazer.

2. À chegada à empresa, guardar os pertences  no cacifo, desinfetar as mãos, colocar a máscara nova. Se for o caso colocar ainda a viseira. De seguida vestir a bata. Manter a distância de segurança entre 1 a 2 metros sempre que for possível. Mesmo com a máscara colocada deve ser respeitada a distância de segurança. Caso sejam fornecidas máscaras de tecido, devem estar em conformidade. A responsabilidade da conformidade dessas máscaras recairá no fabricante, devendo este escolher matérias-primas adequadas, conceber, fabricar e rotular as máscaras de forma a que estas cumpram com os requisitos definidos de respirabilidade e retenção de partículas, assim como testá-las. Cada colaborador deve ter 4 máscaras: usa uma de manhã, e outra lavada de tarde. Essas duas máscaras são depois lavadas em casa no mesmo dia que foram usadas, a 60ºC ou 70ºC e de preferência na máquina de lavar roupa. No dia seguinte, leva para a empresa a 3ª máscara para usar de manhã e a 4ª para usar de tarde, enquanto as outras estão a secar e ficam prontas para o dia seguinte. Caso sejam descartáveis, deve usar uma de manhã, deita-a ao lixo antes do almoço e outra máscara nova de tarde que vai para o lixo no final do turno da tarde. Todos os equipamentos de proteção distribuídos devem ser registados, datados e assinados pelo responsável de entrega e pelo trabalhador.

3. A utilização conjunta ou não, de máscara, luvas, viseira, depende da função desempenhada. Para encarregados e pessoas com contactos frequentes próximos com diferentes colaboradores devem usar máscara e viseira (os pontos de entrada para o organismo são os olhos, boca e nariz); As gaspeadeiras devem usar apenas a máscara. Cada posto de trabalho deve ser analisado consoante a função e o risco.

4. O controlo de temperatura corporal aos trabalhadores à entrada da empresa é um complemento e caso se decida fazê-lo, deve ser feito por termómetro infravermelho para recolha na testa. Depois de ligado deve-se aguardar uns 15 minutos para estabilizar e depois aproxima-se à testa acima da sobrancelha até 5 cm. O trabalhador deve ficar imóvel, para que não haja variações na distância e o valor recolhido seja fiável. Não se deve tocar com o termómetro na testa. Se tal acontecer por lapso, tem de se desinfetar antes da medição seguinte. Antes de retirar o termómetro da posição, ler o valor da temperatura. De acordo com a comunicação do governo de 25-4-2020, o controlo de temperaturas deve ter o consentimento do trabalhador.

5. Os clientes, fornecedores ou prestadores de serviço devem ter a sua própria caneta e a zona ou circuito do seu atendimento específico para não haver cruzamento com outras pessoas da empresa.

6. A presença de clientes na área fabril não deve ser permitida.

7. A receção de encomendas e cartas por correio, deve ser feita apenas por pessoas nomeadas para o receber, num local de entrega específico. Só as pessoas responsáveis é que recebem as encomendas do correio, com máscara e luvas colocadas mantendo distância de 1 a 2 metros. Depois, vai para o local específico, remove os conteúdos dos envelopes e invólucros, deita num caixote do lixo com tampa (ou reciclagem), lava as mãos de seguida e desinfeta a mesa.

8. Os comerciais ou outros trabalhadores com deslocação para fornecedores ou clientes (dentro do País) devem utilizar luvas latex descartáveis e máscara durante o serviço, bem como garantir que todas as proteções se mantêm corretamente colocadas e assim permanecem até ao fim do serviço; a distância de segurança deve ser respeitada mesmo com a máscara colocada; frequentemente devem desinfetar as luvas que também tocam nas superfícies e ficam sujas. Se tiver de tirar as luvas, tem de seguir o procedimento de as remover em segurança. Se tiverem de pagar algo, deve fazê-lo prioritariamente por multibanco; o toque nas teclas do terminal de multibanco deve ser feito com a ponta de uma caneta (algumas canetas estão preparadas com ponta de borracha).

9. Manter ventilação nos espaços/Arejamento dos espaços pela abertura de janelas.

10. Elaboração e divulgação do plano de contingência e constituição de sala de isolamento. Afixação de folhetos informativos de: Como lavar mãos; Como colocar a máscara; Como retirar luvas descartáveis.

11. Manter portas de gabinetes abertas para evitar tocar nas maçanetas.

12. Gestão da presença simultânea de trabalhadores nos espaços: recorrer a rotatividade, turnos, teletrabalho (às funções possívei9s, por exemplo: implementação de horários de trabalho flexíveis e desencontrados.

13. Utilizar preferencialmente ferramentas de comunicação como o correio eletrónico ou a teleconferência, mesmo dentro das instalações.

14. Respeito pela distância de segurança – mínimo 2 metros.

15. Evitar a utilização do bar ou cantina em simultâneo com muitos utilizadores – criar escalas de ocupação, mantendo a distância de segurança.

16. Disponibilizar equipamentos de proteção individual (EPI) e Kits de proteção e higiene sanitária para colaboradores, motoristas e visitantes essenciais.

17. Formação de responsáveis - Esta é uma medida chave para acompanhamento do protocolo de segurança e de saúde em cada área de produção e gestão da fábrica.

18. Deve ser definida uma rotina diária e frequente da limpeza e desinfeção das instalações, equipamentos e ferramentas (bancadas, botões, vidros, portas, puxadores, mesas, teclados, ratos, telefones. Não esquecer também que o écran touch dos telemóveis pessoais devem ser desinfetados com frequência, os óculos, canetas, braços das cadeiras, secretárias, écrans computador).

19. As máquinas de alimentos automáticas devem ser suspensas por obrigar a mexer em dinheiro e a tocar em botões de utilização coletiva. Se tal não for possível, carregar nos botões com dobra da falange e não com zona tátil da mão; desinfetar muito frequentemente o vidro e o écran dos  botões de seleção. Lavar as mãos de seguida.

20. A limpeza dos gabinetes deve ser feita pelos próprios ocupantes para evitar que as deslocações gabinete a gabinete possam ser um risco de transmissão.

Adicionalmente a estas medidas recomenda-se a consulta dos seguintes documentos :

- Comunicação portal do governo 25-4-2020 -  Medição de temperatura aos trabalhadores
- Informação DGS n.º 9/2020 de 13-4-2020 - Uso de Máscaras na Comunidade
- Documento Infarmed, DGS, IPQ , ASAE – máscaras destinadas à utilização no âmbito COVID19 de 14-4-2020
- Orientação DGS 14/2020 de 21-3-2020 - Limpeza e desinfeção de superfícies em estabelecimentos de atendimento ao público ou similares
- Informação técnica DGS n.º 14/2020 de 19-3-2020 - Principais alterações nos procedimentos e atividades dos Serviços de Saúde e Segurança do Trabalho/Saúde Ocupacional
- Orientação DGS nº6/2020 de 26-2-2020 -  Procedimentos de prevenção, controlo e vigilância em empresas
 

Links recomendados:
https://www.napofilm.net/en/napos-films/napo-stop-pandemic
https://www.youtube.com/watch?list=RDCMUCrlcu5KChYyHwXlIeD7oLUg&v=LjBGLkagFbs&feature=emb_rel_end








The latest ones