APICCAPSAPICCAPSAPICCAPS
Facebook Portuguese Shoes APICCAPSYoutube Portuguese ShoesAPICCAPS

Calçado português cria montra digital com milhares de produtos

Calçado português cria montra digital com milhares de produtos

16 Sep, 2020

Setor faz maior investimento de sempre na área digital



A APICCAPS está a ultimar o lançamento do Portal Portuguese Shoes. Trata-se do mais completo portefólio digital da fileira do calçado em Portugal, com 400 empresas associadas. Até ao final do ano, estarão na plataforma mais de 10 000 produtos portugueses.

“É a maior montra de calçado portugueses alguma vez criada”, assegura Luis Onofre. De acordo com o Presidente da APICCAPS, “vivemos um período de exceção das nossas vidas, com limitações sérias em matéria de viagens e mesmo da participação em eventos promocionais no exterior. Por esse motivo, a APICCAPS trabalhou nos últimos meses para poder oferecer aos nossos clientes internacionais toda a informação sobre a oferta portuguesa nas áreas do calçado, componentes e artigos de pele”.
Tratando-se de um portal de cariz profissional, para além de informação síntese sobre as empresas, será possível aceder aos showrooms das empresas, com milhares de produtos, informação técnica especializada, e outros dados relevantes relacionados com as empresas e as marcas. Nos próximos meses, acesso a showroom virtuais e fotos em 3D serão disponibilizados em grande escala.
O mesmo portal, disponibilizar informação sobre todas as marcas portuguesas de calçado que já estão à venda online, promovendo dessa forma uma ligação mais efetiva e sistematizada entre as marcas e os consumidores finais.
O lançamento deste Portal Portugueses está enquadrado na estratégia do setor, no âmbito do Plano FOOTure 4.0,  que tem como objetivo tornar Portugal “a referência internacional da indústria de calçado, pela sofisticação e pela criatividade, reforçando as exportações portuguesas alicerçadas numa base produtiva nacional, sustentável e altamente competitiva, fundada no conhecimento e na inovação”.

Até final de 2021, o setor investirá três milhões de euros no universo digital, no âmbito do projeto “Valorização da Oferta na Fileira do Calçado”, apoiado pelo Compete 2020. Desde o início desde ano, mais de 80 empresas já investiram no universo digital, seja através da associação a plataformas internacionais de prestigio, a criação de lojas online ou campanhas de marketing digital.   
A radiografia do setor
de calçado online
 Cerca de três quartos das empresas portuguesas que integram o cluster português do calçado e artigos de pele tem presença online. No âmbito do estudo “O cluster português de calçado na Internet” da autoria Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada para a APICCAPS foram inquiridas 328 empresas e 362 marcas. O Cluster português do calçado e artigos de pele está no trilho correto, mas há, na ótica da APICCAPS, “ainda muito trabalho para fazer”.
 No segmento de calçado, 75% das empresas têm presença online, consubstanciada com um site. Números que sobem para os 78% no caso das empresas de componentes para calçado e de artigos de pele e marroquinaria
Duas notas adicionais merecem ser consideradas: “a percentagem de empresas com site é ligeiramente crescente com a dimensão” e, nota de preocupação, 4% dos sites “consiste numa página a dizer apenas site em construção”.
Em termos de língua, o inglês é a mais comum, sendo utilizado em 90% dos sites, enquanto que o português surge em apenas 75%, um dado que parece fazer sentido para uma fileira altamente exportadora como a do calçado. Quase 71% apresentam um catálogo de produtos.  Cerca de 27% permite ao “consumidor comprar online os produtos da empresa”. Apenas 9% das empresas permite a personalização dos seus produtos.
Também a presença nas redes sociais começa a ser importante para as empresas do cluster. Quase 60% das empresas tem presença no Facebook, 37% no Instagram e 21% no Linkedin. Acresce que a presença nas redes sociais não tem relação com a dimensão das empresas. As empresas do cluster mais ativas são as de marroquinaria.
Apenas 27% das empresas têm loja online. Dessas, 66% aceitam encomendas de todo o mundo, 14% vendem os seus produtos apenas no mercado europeu e 9% exportam para alguns destinos fora da UE, ainda que não para todo o mundo. Cerca de 2% das empresas vendem em Espanha e Portugal, 9% vendem apenas em território nacional.
 A presença em plataformas online é, de acordo, com o Centro de Estudos de Gestão e Economia Aplicada da Universidade Católica do Porto, “escassa”. Com efeito, apenas 6,7% das empresas analisadas integra a Amazon, 5,8%b a Overcube, 5,2% a Dot. A Zappos, vocacionada para o comércio do calçado, é a que regista menor presença de empresas portuguesas (menos de 2%). A presença em lojas online é mais frequente em empresas com mais de 250 colaboradores.
É com base nesta radiografia “do cluster português de calçado na Internet” que a APICCAPS pretende atuar, criando novas dinâmicas de intervenção, para que o setor cheguem com maior eficiência e acrescido impacto aos profissionais do setor.

Recorde-se que a indústria portuguesa de calçado exporta anualmente 80 milhões de pares de calçado para 163 países, nos cinco continentes, num valor próximo dos 2 000 milhões de euros.



The latest ones