APICCAPSAPICCAPSAPICCAPS
Facebook Portuguese Shoes APICCAPSYoutube Portuguese ShoesAPICCAPS

Coronavirus: informações

Coronavirus: informações

25 Feb, 2020

Começou por designar-se por coronavirus, foi identificado pela primeira vez em dezembro de 2019 na China, na Cidade de Wuhan e haveria de assumir a designação COVID 19. De acordo com a Direção Geral de Saúde “este novo agente nunca tinha sido previamente identificado em seres humanos”. A fonte da infeção é ainda desconhecida. O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou, no entretanto, que o mundo tem de se preparar para uma “eventual pandemia” do novo coronavírus, considerando “muito preocupante” o “aumento repentino” de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão.

"Devemos concentrar-nos na contenção [da epidemia], enquanto fazemos todo o possível para nos prepararmos para uma possível pandemia", disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, em conferência de imprensa em Genebra.

Certo é que estão identificados milhares de casos em todo o mundo e há a lamentar centenas de vítimas mortais. As consequências são imprevisíveis.

Do ponto de vista estritamente económico, Luís Onofre, Presidente das APICCAPS, considera que “o impacto final será sempre negativo”. Desde logo porque “provoca instabilidade no mundo dos negócios o que, por si só, é sempre negativo”. Por outro lado, “poderá contribuir para o arrefecimento da economia mundial, o que é altamente penalizador para um setor como o calçado que exporta mais de 95% da sua produção para todo o mundo”.

No setor do calçado, os primeiros sinais cedo se fizeram sentir. A MICAM, o maior e mais relevante certame profissional, anunciaria uma perda de 5% do número de visitantes profissionais. A ausência de potenciais clientes asiáticos foi por demais evidente. A newsletter Shoe Inteligence anunciava, igualmente, que alguma da produção de calçado estaria já a ser “deslocada” da China para outros países asiáticos, como o Vietname.

Ainda no domínio da moda, empresas, mesmo europeias, viram-se na contingência de ter de encerrar a produção. A têxtil Calvelex, com sede em Lousada e fábricas em Matosinhos e Vila Nova de Gaia, suspendeu parte da produção, até dia 28, por falta de matérias-primas e encomendas devido ao surto. “Como é público, o recente vírus causou uma emergência de saúde pública global já declarada pela OMS [Organização Mundial de Saúde]. Em consequência, os nossos fornecedores de algumas matérias-primas como botões, forros, etiquetas e etiquetas de composição, que se localizam nas cidades de Hong Kong e Shenzhen, na China, comunicaram-nos directamente não ter capacidade de produção para responder às nossas compras habituais”, refere a administração da Calvelex numa carta enviada aos colaboradores.

Segundo a empresa, até outros fornecedores “localizados em países europeus, como França, não estão a cumprir os prazos de fornecimento de matérias-primas, como tecidos, com o mesmo fundamento”.
Esta manhã, o desfile da portuguesa Alexandra Moura, no âmbito da Semana da Moda de Milão, haveria de ser cancelado.

O que é o Coranavirus

Os coronavírus são uma família de vírus com capacidade de causar doença no ser humano. A família Coronaviridae inclui o vírus da constipação comum, mas também o da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS, uma forma de pneumonia atípica) e o da Síndrome Respiratória do Médio Oriente (MERS). Agora este novo vírus foi detetado a partir de vários casos de pneumonia na cidade de Wuhan, província de Hubei, na China, tendo sido dada a designação oficial de Covid-19.

Febre, tosse seca e dificuldade respiratória são os principais sinais e sintomas de infeção, que, em casos mais graves, pode apresentar-se como pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e disfunção de outros órgãos, podendo conduzir à morte.

Como se transmite? A transmissão pessoa a pessoa foi confirmada, mas não se conhecem mais pormenores. Ainda está em investigação a via de transmissão. Ainda não há conclusões definitivas sobre as características da doença, a intensidade da transmissão humano a humano ou a fonte original do surto. Segundo o Centro de Prevenção e Controlo de Doenças norte-americano (CDC), o tempo de incubação do vírus pode durar entre 2 a 14 dias.

Medidas de proteção

Em Portugal, não estão indicadas medidas específicas de proteção. Contudo, a Direção-Geral da Saúde aconselha, por exemplo, a lavagem regular das mãos ou medir a temperatura do corpo, pelo menos, duas vezes por dia.

Conselhos a quem viajou desde Milão


Nas últimas horas, a Direção-Geral da Saúde pediu cuidado e atenção ao próprio estado de saúde de todos os que cheguem de Itália, mas também de outros países com focos do novo coronavírus, denominado Covid-19: China, Japão, Coreia do Sul, Singapura e Irão.

A diretora-geral da Saúde aconselha quem chegue das regiões mais afetadas em Itália a evitar contactos sociais, alertando que os cuidados devem ser redobrados. "Há medidas de higiene respiratória que devemos manter, especialmente para estas pessoas que vêm do norte de Itália. Aconselhamos o distanciamento social para quem esteja assintomático", defendeu Graça Freitas, acrescentando que espera por mais informações das autoridades de saúde italianas para perceber como o vírus se propagou.

Mais informações atualizadas:

The latest ones