APICCAPSAPICCAPSAPICCAPS
APICCAPSAPICCAPSAPICCAPS
Facebook Portuguese Shoes APICCAPSYoutube Portuguese ShoesAPICCAPS
  • NOTÍCIAS

Vegan: mito ou realidade?

Vegan: mito ou realidade?

5 Abr, 2018

Ser diferente num mercado cada vez mais global pode ser a chave do sucesso para muitas empresas. Em alguns casos para empresas que acabam de nascer, noutros casos para empresas que procuram distinguir-se num cenário de cada vez maior competitividade. Os nichos de mercado começam a ser cada vez mais procurados na hora de lançar um negócio.

Ainda que a produção de calçado em Portugal seja, maioritariamente, de calçado em couro, há um número crescente de empresas interessadas em diversificar o tipo de produtos que comercializam.

Num setor especializado na produção de sapatos em couro, a utilização de pele de origem animal nem sempre é vista com bons olhos pelos nichos veganos. O veganismo começa a ganhar força à escala global; há cada vez mais movimentos de proteção dos animais que pedem alternativas à exploração animal na indústria alimentar e, até mesmo, na indústria da moda. Mas o que é ser Vegan? Pedro Caria, da Shaping Brands explica “o veganismo é um estilo de vida e um modo de vida que, na medida do possível, evita prejudicar outros. É motivado pelos animais, pelo meio ambiente, pelas pessoas e pela saúde. Rejeita claramente a exploração, a crueldade e maus-tratos a animais”.

O consultor, que lançou recentemente o guia “A Revolução Vegan” (disponível no site do CTCP), acredita que escolher sapatos vegan é uma opção natural para quem rege a sua vida por princípios ecológicos. “A partir do momento em que estamos perante um consumidor que adopta um estilo de vida, este vai procurar incessantemente soluções para o poder concretizar.”

De acordo com a The Vegan Society “esta filosofia procura excluir - tanto quanto possível e praticável - todas as formas de exploração e crueldade de animais para alimentação, vestuário ou qualquer outro propósito e, por extensão, promove o desenvolvimento e o uso de alternativas livres de animais para o benefício dos humanos, dos animais e do meio ambiente”.

Há várias formas de concretizar o veganismo, mas todas têm em comum uma dieta à base de plantas, na libertação de produtos, subprodutos, matérias ou substâncias de origem animal, como: carne, peixe, lacticínios, ovos, mel, insetos, crustáceos, seda, lã, pele, produtos químicos e outros que tenham passado por testes animais.

Este é um nicho de mercado real e que tem procura à escala mundial. Para além disso, segundo Pedro Caria, “a sua potencialidade existe e dá sinais de crescimento, dia após dia. Este nicho é considerado, hoje, por muitos, como o maior e mais importante movimento mundial”.

A The Vegan Society promoveu 2 estudos de mercado no Reino Unido em períodos distintos. O primeiro, realizado pela Ipsos Mori em 2016, concluiu que o universo Vegan cresceu, na Grã-Bretanha, 360% em 10 anos. Em 2016 foram identificadas 542.000 pessoas com idades superiores a 15 anos (cerca de 1% população) que seguem uma dieta Vegana, um crescimento acentuado face a 2006, onde foram identificadas 150.000 pessoas. O estudo demonstrou que o Veganismo é no Reino Unido o movimento de estilo de vida de mais rápido crescimento e estima-se que possa crescer até 1 milhão de pessoas. Um segundo estudo realizado pela Option Matters no final de 2017, permitiu perceber que metade dos adultos do Reino Unido estão agora a adotar comportamentos de compra vegan, sendo agora o UK mais vegan-friendly do que nunca. Metade dos 20.000 indivíduos adultos entrevistados, disseram que conhecem alguém que é Vegan e mais de 1/5 disseram que considerariam tornar-se Vegans.

Segundo o estudo de Pedro Caria, “para muitos, hoje em dia, este é considerado como o maior e importante movimento mundial. Em países como Estados Unidos da América, Canadá, Brasil, Reino Unido, Bélgica e Alemanha é notório, ao longo dos anos, o crescimento deste nicho.”

Um nicho de desafios

Mas…para um indústria com forte tradição na produção em couro, como podem ser implementados estes novos materiais? “É essencial definir um público-alvo, perfil de consumidor e posicionamento com o maior rigor possível. As marcas deve criar um produto verdadeiramente Vegan. A promessa Vegan não pode falhar”. Em termos técnicos, os produtos que se declaram vegan não podem conter, na medida do possível, nenhum produto ou subproduto de origem animal e devem garantir que nenhum animal foi utilizado para a sua produção (por exemplo em testes).

“A produção de calçado Vegan já acontece em Portugal há vários anos, estando a ser produzidas no nosso país algumas das mais conceituadas e conhecidas marcas Vegan do mundo. Em Portugal, temos o know-how de produção, é apenas uma questão de adaptação aos materiais e componentes, que respondam às exigências dos produtos vegan.

“Como sabemos a nossa indústria é altamente competente em produzir calçado de valor acrescentado, em que os acabamentos, por exemplo, têm um papel preponderante e que só é possível garantir com muito conhecimento acumulado. Trabalhar produtos não pele é menos complexo a esse nível. O maior desafio, na minha opinião, está no fornecimento de materiais de qualidade e que garantam com certeza, que os mesmos não têm qualquer produto, sub-produto, matérias ou substâncias de origem animal (materiais da gáspea, solas, ilhós, colas, cordões, ceras, tintas...). Este diria que é o grande desafio”.


Este é um movimento que tem adquirido cada vez mais credibilidade e uma perceção mais positiva, devido ao trabalho responsável que tem vindo a ser desenvolvido pelos seus atores, ao longo dos anos. “Hoje ainda pode ser considerado um nicho, mas no futuro, pode ser bem mais. Para muitos, a Revolução Vegan só agora começou”.


Empresas portuguesas à conquista do mercado

Em Portugal, algumas marcas já se movimentam neste nicho de mercado. É o caso da Rutz. A marca de Raquel Castro é conhecida internacionalmente pelo uso de cortiça. “A cortiça tem uma série de características, como a impermeabilidade, que me levam a acreditar que no futuro será usada em muitos produtos. No entanto, criamos uma linha vegana que não utiliza qualquer tipo de componente animal, porque percebemos que existia uma procura muito grande em relação a este tipo de produção”.


Mais recentes no mercado encontramos asportuguesas. A startup criada por Pedro Abrantes com a Amorim Cork Ventures, agora com o apoio do grupo Kyaia, é detentora da primeira marca de flip-flops de cortiça do mundo. E este é apenas o único material que utilizam.


Mas as surpresas não ficam por aqui. A Nae (No animal exploration) propõe uma alternativa à exploração animal. A marca, com uma década, utiliza materiais naturais como a cortiça e a folha de ananás. Em paralelo, utiliza materiais reciclados como pneus, airbags – aproveitando a poliamida - e garrafas de plástico. “A nae vegan shoes nasceu sob o pressuposto da não exploração animal, e aposta não só em materiais naturais e ecológicos, mas também no design, estilo e qualidade que já são reconhecidos do calçado português”.


As vendas acontecem maioritariamente online, mas a marca tem também um espaço em Lisboa, na LX Factory e vende em 130 pontos multimarca por todo o mundo.


A dar que falar internacionalmente está a Marita Moreno, que acaba de ser reconhecida na Austrália, com o prémio FOMA – Symbol of Hrmony Award. A marca, em nome próprio, chegou ao mercado há dez anos com uma missão: ser 100% sustentável. Os sapatos são produzidos com materiais naturais, sem nenhuma componente animal na produção das peças - como algodão orgânico, cortiça certificada, burel e borracha para as solas. Além disto, a marca tem procurado utilizar os desperdícios da indústria, criando assim a linha upcycling, feita a partir de sobras de materiais numa abordagem de economia circular .


Além da Marita Moreno, mais duas marcas nacionais foram premiadas em Sidney – a 7 Hills e a Elementum – insígnias especializadas na produção de calçado sustentável, através de “uma abordagem da moda centrada na harmonia entre conforto, qualidade e preocupação ambiental”.


Mas há muito mais a acontecer no mercado. A empresa Lucília, Vieira & Lima lançou há quatro anos a Ultra Shoes. “A produção de artigos sustentáveis representa já 15% de tudo o que produzimos”, afirma Pedro Lima. O responsável pela Ultra Shoes admite que há sapatos “que já são mais de 90% reciclados”. A marca começou pelos sapatos biodegradáveis, depois pelo upcycling e “logo a seguir iniciámos o vegan que, das três áreas, é a que tem um peso maior”. Atualmente, o mercado alemão representa 70% das vendas.

Últimas Notícias

Dez anos que mudaram a imagem do calçado em Portugal

Dez anos que mudaram a imagem do calçado em Portugal

11 Dez, 2018

PR assina preâmbulo

PR assina preâmbulo

11 Dez, 2018

Campanha Portuguese Shoes 2019

Campanha Portuguese Shoes 2019

11 Dez, 2018

APICCAPS e Livraria Lello associam-se

APICCAPS e Livraria Lello associam-se

11 Dez, 2018

Agenda -  Promoção externa em análise

Agenda - Promoção externa em análise

29 Nov, 2018

Concurso de jovens talentos volta a Portugal

Concurso de jovens talentos volta a Portugal

27 Nov, 2018

EUA: A grande oportunidade

EUA: A grande oportunidade

25 Nov, 2018

Mais de 60 empresas com apoios à marca própria

Mais de 60 empresas com apoios à marca própria

22 Nov, 2018

AMF aposta numa nova geração de produtos

AMF aposta numa nova geração de produtos

18 Nov, 2018

Nova Pós-Gradução em Internacional Business

Nova Pós-Gradução em Internacional Business

14 Nov, 2018

APICCAPS promove calçado infantil

APICCAPS promove calçado infantil

13 Nov, 2018

Calçado adota economia circular

Calçado adota economia circular

13 Nov, 2018

Católica promove sessão sobre a China

Católica promove sessão sobre a China

13 Nov, 2018

Grupo Carité “salva” fábrica destruída nos incêndios

Grupo Carité “salva” fábrica destruída nos incêndios

24 Out, 2018

Missão Empresarial à Irlanda

Missão Empresarial à Irlanda

24 Out, 2018

Sapatos portugueses em destaque na MLX

Sapatos portugueses em destaque na MLX

19 Out, 2018

China vs EUA: quem ganha?

China vs EUA: quem ganha?

15 Out, 2018

Geração 4.0: Miguel Moreira

Geração 4.0: Miguel Moreira

1 Out, 2018

Empresas portuguesas apostam no eco-friendly

Empresas portuguesas apostam no eco-friendly

26 Set, 2018

Cluster do calçado investe 94,4 milhões de euros

Cluster do calçado investe 94,4 milhões de euros

19 Set, 2018

Portugal reforça presença na Micam

Portugal reforça presença na Micam

14 Set, 2018

Lavoro: lado a lado com os bombeiros

Lavoro: lado a lado com os bombeiros

6 Set, 2018

Geração 4.0: Rafic Daud

Geração 4.0: Rafic Daud

29 Ago, 2018

Josefinas solidárias

Josefinas solidárias

16 Ago, 2018

Produção e exportações mundiais de calçado voltam a aumentar em 2017

Produção e exportações mundiais de calçado voltam a aumentar em 2017

1 Ago, 2018

New York, New York!

New York, New York!

30 Jul, 2018

Calçado em números

Calçado em números

13 Jul, 2018

A caminho dos 'states'

A caminho dos 'states'

6 Jul, 2018

America, here we go

America, here we go

28 Jun, 2018

Quanto luxo cabe num par de sapatos?

Quanto luxo cabe num par de sapatos?

22 Jun, 2018

Plástico? Para que te quero?

Plástico? Para que te quero?

19 Jun, 2018

Atrair jovens para a indústria

Atrair jovens para a indústria

1 Jun, 2018

Comércio Livre para o setor do calçado

Comércio Livre para o setor do calçado

24 Mai, 2018

O luxo no Porto

O luxo no Porto

3 Mai, 2018

Congresso da UITIC: Programa anunciado

Congresso da UITIC: Programa anunciado

20 Abr, 2018

Kyaia investe em plataforma digital

Kyaia investe em plataforma digital

17 Abr, 2018

Contagem decrescente para o Congresso da UITIC

Contagem decrescente para o Congresso da UITIC

6 Abr, 2018

FOOTure 4.0 em marcha

FOOTure 4.0 em marcha

23 Mar, 2018

Congresso da UITIC: primeiros nomes confirmados

Congresso da UITIC: primeiros nomes confirmados

20 Mar, 2018

Road to America

Road to America

16 Mar, 2018

Primeiro-Ministro visita o setor

Primeiro-Ministro visita o setor

14 Mar, 2018

Indústria europeia de calçado preocupada  com escassez de mão-de-obra

Indústria europeia de calçado preocupada com escassez de mão-de-obra

12 Mar, 2018

Oito anos de crescimento nas exportações

Oito anos de crescimento nas exportações

9 Mar, 2018

Geração 4.0: Pedro Sampaio

Geração 4.0: Pedro Sampaio

6 Mar, 2018

Calçado em força na MICAM

Calçado em força na MICAM

28 Fev, 2018

Geração 4.0: Maria João Lima

Geração 4.0: Maria João Lima

23 Fev, 2018

 Indústria 4.0: Calçado dá pontapé de saída

Indústria 4.0: Calçado dá pontapé de saída

15 Fev, 2018

Portugal reforça presença na theMicam

Portugal reforça presença na theMicam

8 Fev, 2018

APICCAPS dá voz aos novos artigos de pele

APICCAPS dá voz aos novos artigos de pele

5 Fev, 2018

Congresso Mundial da UITIC gera grandes expectativas

Congresso Mundial da UITIC gera grandes expectativas

24 Jan, 2018

Guava associa-se a Versace

Guava associa-se a Versace

17 Jan, 2018

Artigos de pele: what a ride!

Artigos de pele: what a ride!

8 Jan, 2018

A jornada do calçado português

A jornada do calçado português

27 Dez, 2017

Portugal vence Melhor Design de Calçado

Portugal vence Melhor Design de Calçado

18 Dez, 2017

Nova campanha Portuguese Shoes

Nova campanha Portuguese Shoes

30 Nov, 2017

Jovens talentos europeus competem em Portugal

Jovens talentos europeus competem em Portugal

27 Nov, 2017

Regulamento Concurso Porto.Moda Portugal

Regulamento Concurso Porto.Moda Portugal

14 Nov, 2017

Condé Nast escolhe Portugal

Condé Nast escolhe Portugal

30 Out, 2017

Bem-vindo ao Japão

Bem-vindo ao Japão

23 Out, 2017

Calçado em destaque na ModaLisboa

Calçado em destaque na ModaLisboa

11 Out, 2017

Portugal acolhe Congresso Mundial de Calçado

Portugal acolhe Congresso Mundial de Calçado

9 Out, 2017

Primeira Entrevista de Luís Onofre

Primeira Entrevista de Luís Onofre

1 Out, 2017

Calçado caminha para novo máximo histórico

Calçado caminha para novo máximo histórico

28 Set, 2017

Um pé em Milão e outro nos Estados Unidos

Um pé em Milão e outro nos Estados Unidos

25 Set, 2017

O novo projecto da Farfetch

O novo projecto da Farfetch

20 Set, 2017

Portugal reforça presença na maior feira de calçado do mundo

Portugal reforça presença na maior feira de calçado do mundo

5 Set, 2017

Duas dezenas de empresas na Gallery Shoes

Duas dezenas de empresas na Gallery Shoes

25 Ago, 2017

China perde quota na produção mundial de calçado

China perde quota na produção mundial de calçado

1 Ago, 2017

Portuguese Shoes à volta do mundo

Portuguese Shoes à volta do mundo

25 Jul, 2017

Museu do Calçado premiado

Museu do Calçado premiado

19 Jul, 2017

Moda Portuguesa em destaque em Paris

Moda Portuguesa em destaque em Paris

6 Jul, 2017

APICCAPS promove Campanha de Jovens

APICCAPS promove Campanha de Jovens

7 Jun, 2017

Calçado cresce 9%

Calçado cresce 9%

18 Mai, 2017

De regresso à Colômbia

De regresso à Colômbia

11 Mai, 2017

Luís Onofre ao leme

Luís Onofre ao leme

21 Abr, 2017

Calçado fecha contrato coletivo histórico

Calçado fecha contrato coletivo histórico

19 Abr, 2017

Cluster do calçado já vale 2.500 milhões de euros

Cluster do calçado já vale 2.500 milhões de euros

5 Abr, 2017

ModaLisboa com bons olhos

ModaLisboa com bons olhos

4 Abr, 2017

Artigos de pele crescem

Artigos de pele crescem

3 Abr, 2017

Exportações de calçado atingem máximo histórico

Exportações de calçado atingem máximo histórico

14 Mar, 2017

Pelos corredores da theMicam

Pelos corredores da theMicam

9 Mar, 2017

Portugal sai na frente da 4ª Revolução Industrial

Portugal sai na frente da 4ª Revolução Industrial

9 Mar, 2017

GDS muda datas

GDS muda datas

4 Out, 2016

Calçado descobriu a Austrália

Calçado descobriu a Austrália

4 Out, 2016

Aposta no Japão

Aposta no Japão

19 Set, 2016

Maria Clara

Maria Clara

20 Jul, 2016

Calçado cria 300 marcas

Calçado cria 300 marcas

20 Jul, 2016

Uma nova aposta chamada Japão

Uma nova aposta chamada Japão

29 Jun, 2016

Exportações de calcado continuam a acelerar

Exportações de calcado continuam a acelerar

14 Jun, 2016